Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/10/20 às 17h24 - Atualizado em 15/10/20 às 17h26

Carolina Monteiro: DF tem referência, confiança e uma transparência muito forte

COMPARTILHAR

A nova parceria entre o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Nacional) e as Juntas Comerciais é o projeto Empreendedor Digital. E como o DF foi escolhido para ser o piloto da iniciativa, o sistema da Junta Comercial, Industrial e Serviços do Distrito Federal (Jucis-DF) será modernizado ainda neste ano, o que permitirá que cerca de 460 mil empresários tenham mais facilidade e agilidade na hora de abrir, alterar ou fechar empresas.

 

Em entrevista, a presidente da Junta Comercial do Estado do Ceará (Jucec), Carolina Monteiro, destaca a importância do projeto e a escolha da Jucis-DF como Junta Comercial piloto da iniciativa.

 

Acompanhe, abaixo, os principais trechos da entrevista.

 

 

Qual a importância do projeto Empreendedor Digital para a economia do DF e do Brasil?

O projeto alcança o próprio apontamento do desenvolvimento econômico do Brasil. Isso porque nós trabalhamos a ambiência de negócios, e, quando ela é favorável em determinadas regiões ou no país como um todo, ela favorece a atração de investimentos, a geração de emprego e renda e até o planejamento urbanístico das cidades. Então nós o vemos como um projeto estruturante, pois não há como falar em desenvolvimento econômico nem em atração de investimentos sem o Estado ter um bom viés de negócios. Por isso, o Empreendedor Digital traz no seu bojo todo esse planejamento de trabalhar a ambiência de negócios territorial.

 

Por que o DF foi escolhido para ser o piloto do projeto?

Primeiro porque a Jucis-DF sempre foi uma grande parceira do projeto. Além disso, ela tem referência, confiança e uma dinâmica de transparência muito forte. E segundo pela questão estratégica, pela localização, pela organização administrativa diferenciada, que nos permite trabalhar operacionalmente melhor o projeto aqui no DF. Por isso, entendemos que seria muito estratégico ter o DF à frente do projeto-piloto.

 

O que já avançou na implantação do projeto e quais os próximos passos?

Nós já conseguimos colocar todas as Juntas Comerciais que participam do projeto em formato totalmente digital, e isso contribuiu para que nossos serviços fins não fossem prejudicados durante esta pandemia. Também acreditamos que houve uma mudança de paradigma muito forte, pois antes as Juntas Comerciais eram órgãos meramente cartoriais, e hoje são agentes de desenvolvimento econômico, uma vez que têm no seu bojo toda a integração com todos os órgãos envolvidos no processo de legalização de uma empresa. Então hoje no Brasil as Juntas Comerciais cumprem um papel de indução do desenvolvimento econômico. E o Distrito Federal assumiu esta responsabilidade. Vêm muitas novidades por aí, não quero estragar as surpresas, mas posso adiantar que os empresários do Distrito Federal serão os primeiros a experimentar essas coisas boas que estão vindo.