Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/11/19 às 16h23 - Atualizado em 4/11/19 às 16h23

Rodrigo Freitas Rodrigues Alves

COMPARTILHAR

Nascido em Brasília em 1971, o Vogal Rodrigo Freitas Rodrigues Alves é advogado; mediador judicial; segundo-tenente da reserva, da Arma de Artilharia do Exército; constelador familiar; pós-graduado em Direito Processual Civil, em Direito do Trabalho e em Ordem Jurídica e Ministério Público; e atualmente faz mestrado em Educação.

 

Advogado desde 1993, o Vogal já atuou como conselheiro da OAB-DF, eleito quatro vezes; oficial-substituto do Quinto Ofício de Registro Civil, Títulos e Documentos do DF; chefe da Assessoria Jurídico-Legislativa da Administração Regional de Brasília; procurador-chefe da Procuradoria Jurídica da Companhia de Desenvolvimento e Habitação do Distrito Federal (Codhab); presidente da Primeira Turma do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB-DF; presidente da Comissão Permanente de Orçamento e Contas da OAB-DF; fundador e primeiro presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante da OAB-DF; fundador e primeiro presidente da Comissão de Direito Sistêmico da OAB-DF; e fundador e primeiro presidente da Comissão de Direito Sistêmico da OAB Nacional; além de ser sócio-proprietário da Advocacia Rodrigues Alves.

 

Como é na Junta Comercial que “nascem as empresas que geram empregos e fomentam a economia do País”, ele aceitou o convite para ser Vogal por ser muito gratificante colaborar com a busca do ótimo exercício dessa função social da autarquia.

 

Além disso, acrescenta, “representando a Ordem dos Advogados do Brasil no Conselho de Vogais, poder ajudar nas finalidades institucionais da advocacia de defesa da Constituição, da ordem jurídica do Estado democrático de direito, dos direitos humanos e da justiça social”.

 

Sobre a vinda da gestão da Junta para o GDF, o Vogal até citou Érico Veríssimo: “Quando os ventos da mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento”. E finalizou dizendo: “É hora de construirmos moinhos de vento”.

 

“A atual gestão está motivada, alinhada com os princípios da administração pública de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência e, especialmente, focada no seu maior capital: nos colaboradores da casa, que merecem todo o destaque pelo exitoso resultado já alcançado em período tão curto de tempo”, ressalta.