Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/07/20 às 17h43 - Atualizado em 8/07/20 às 17h50

Brasília no rumo da tecnologia

Por reunir os três Poderes, Brasília ficou conhecida no resto do País como a capital da política. Porém, um projeto audacioso, pensado há quase uma década, mas que só começou a sair do papel agora, na gestão do governador Ibaneis Rocha, levará o DF a assumir a posição de ser também um centro da tecnologia. Uma espécie de Vale do Silício brasileiro.

 

Para pavimentar esse caminho de transformação, o governador assinou, nesta quarta-feira (8), um contrato que cria o Fundo de Investimento Imobiliário do Biotic S.A., que tem como meta arrecadar recursos da iniciativa privada para levar infraestrutura e desenvolvimento a essa cidade da inovação.

 

O Biotic é um empreendimento imobiliário de grande porte, projetado para ser um bairro vibrante, harmonizado com o meio ambiente, no conceito de bairro inteligente, com escritórios, universidades, comércios, residências, praças e parques que se integram perfeitamente com a riqueza da paisagem circundante, o melhor ambiente para receber pessoas que criem inovações com foco em mercados como GovTec, FoodTec e HealthTec.

 

O parque tecnológico pretende ser o polo da tecnologia brasileira, concentrando empresas de vários segmentos de inovação, como as startups. A exemplo do que ocorre na Califórnia (EUA), onde o Vale do Silício reúne gigantes como Apple, Facebook e Google.

 

Terreno de um milhão de metros quadrados

O terreno que abrigará as empresas de tecnologia fica situado ao lado da Granja do Torto. São um milhão de metros quadrados destinados à Biotic, empresa 100% da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap). “Trata-se de um empreendimento fantástico. Os recursos desse fundo serão aplicados no local”, explicou o presidente da Terracap, Izidio Santos Junior.

 

O Banco de Brasília (BRB), por intermédio da BRB DTVM, será o administrador desse fundo e responsável pela captação de investidores para a Biotic. A instituição também será parceira e emprestará credibilidade à cidade tecnológica, onde construirá um centro de inovação, além de trazer uma aceleradora de startups. “Isso vai estimular a ida de empresas para lá”, prospecta o presidente do BRB, Paulo Henrique.

 

Para ele, alguns fatores contribuem para atrair o olhar das empresas. Segundo o presidente, a posição logística de Brasília, por se concentrar no centro do País, a importância como capital da República e qualidade das instituições de ensino são alguns desses atrativos. “Será um marco histórico. Pela primeira vez, a Biotic começa a tomar corpo e posicionar Brasília como um centro de inovação”, emenda.

 

Fundo verde

A visão de Paulo Henrique é corroborada por Vitor Bidetti, que é sócio-fundador e CEO da Integral Brei, empresa gestora de ativos especializada na estruturação de projetos e que fará a gestão do fundo da Biotic.

 

A Biotic possui uma característica de ser um fundo verde – que tem enfoque nas questões ambiental e sustentável – e também é identificada no cenário econômico como ESG (environmental, social and governance, que significa ambiental, social e governança).

 

“A Biotic reúne tudo o que diz respeito a investimentos responsáveis. É uma cidade inteligente e com enfoque ambiental, social e governança. Então, quando a gente junta esses elementos num cenário pós-pandemia, tendo como veículo de investimento um fundo imobiliário ESG, é um case internacional”, afirma Vitor Bidette.

 

* Fonte: Agência Brasília/ Foto: Tony Winston/Agência Brasília